Empresa GP deve FGTS e faz vigilantes assinarem acordo absurdo

A empresa GP Guarda Patrimonial SP Ltda não paga há anos FGTS dos vigilantes. Além disso, descumpre a CCT fazendo os vigilantes, que prestam serviço no banco Itaú, assinarem um acordo individual sem a presença do sindicato.

A empresa marcou uma reunião com todos os sindicatos do Rio de Janeiro, no dia 3 de outubro, para resolver a situação dos vigilantes que prestam serviço nas agências do Itaú. No entanto, no dia 29 de setembro, sem avisar ao sindicato, a empresa marcou com todos os vigilantes do Sul Fluminense no Centro de Formação Kwan (ressaltamos que a Escola Kwan é totalmente neutra no assunto e apoia a categoria). Comparecemos no local e encontramos dois tabeliões, com documentos para fazer acordo com a categoria, o que foge da lei trabalhista. O Sindicato interviu, juntamente com o seu departamento jurídico, e orientou os vigilantes.

 

A empresa então remarcou a reunião com os sindicatos para o dia 10 de outubro. Porém, no dia 6 de outubro, a GP agiu novamente descumprindo a CCT. A empresa alugou um ônibus e pediu a todos os vigilantes que fossem para as rodoviárias da região às 5 horas da manhã. O sindicato mais uma vez esteve no local. O supervisor Bruno, que estava responsável pela ida dos mesmos ao Rio de Janeiro, já havia falado aos vigilantes que seria bom que eles fossem, a fim de avaliar a proposta que seria feita. Eles poderiam avaliar se seria melhor se desvincular da empresa, podendo ser aproveitado pela outra, mas os que não aceitassem o acordo seriam colocados à disposição da GP. Então levaram os vigilantes para um local desconhecido, sem a presença do sindicato dos trabalhadores e todos os vigilantes assinaram o acordo individual, o qual tirou a garantia dos direitos dos mesmos.

No dia 19 de outubro, foi realizada uma mediação no MTE - Ministério do Trabalho - sobre o FGTS, pois a empresa continua com atrasos no Fundo de Garantia de vários vigilantes do estado do Rio. Foi pedido, por parte do sindicato, a fiscalização na empresa. A GP, por sua vez, colocou em ata que era contra a solicitação da fiscalização. A empresa apresentou documentos, mas nenhum extrato de depósito feito aos vigilantes do Sul Fluminense. Ficou registrado então a solicitação, determinando que haverá a fiscalização, a qual será feita pelo MTE.

O sindicato está à disposição dos vigilantes. Ligue e denuncie qualquer irregularidade de sua empresa! Garantimos o sigilo. Telefone: (24) 3346-8819 ou (24) 98813-9293 whatsapp.

Contato

VOLTA REDONDA - RJ: Av. Sete de Setembro, 632 - Aterrado

Telefone: (24) 3346-8819

 

RESENDE - RJ: Av. Albino de Almeida, 142 - sala 205 - Campos Elíseos (em cima da loja Mundo Verde)

 

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.