Vigilantes protestam pelos 30% de periculosidade no Centro do Rio

Manifestação de vigilantes no Centro do Rio

Os vigilantes e profissionais de segurança do Rio realizaram manifestação dia 1º de fevereiro, no Centro do Rio de Janeiro, pelo cumprimento da Lei 12.740/12 que concede 30% de adicional de periculosidade aos trabalhadores da segurança privada. A lei foi sancionada pela presidente Dilma em dezembro. O ato fez parte do Dia Nacional de Lutas, ocorrido nas principais capitais do país, pelo cumprimento do adicional que os vigilantes têm direito, mas os patrões vêm protelando o pagamento, alegando que a lei precisa ser regulamentada. De Norte a Sul do estado, passando pela Baixada Fluminense, Região Serrana e Niterói, os sindicatos promoveram manifestações em suas bases territoriais.

No Rio, os vigilantes se concentraram na Candelária desde as 7h e as 10h, saíram em passeata pela Av. Rio Branco, com o apoio da Polícia Militar. Mais de 150 vigilantes atenderam à convocação do Sindicato e da Federação da categoria. O Sindicato dos Trabalhadores em Carro Forte do Interior também se juntou ao protesto em apoio aos vigilantes patrimoniais. A manifestação terminou em frente ao prédio da Justiça do Trabalho, onde vários trabalhadores e sindicalistas fizeram uso da palavra.

manifestacao-rio-fev2013-2

Para o presidente do Sindicato e da Federação do Rio, Fernando Bandeira, é importante a união dos companheiros para pressionar os donos das empresas a pagarem os 30% de periculosidade já, independente da regulamentação a cargo do Ministério do Trabalho. “Uma coisa não tem nada haver com a outra. A lei é clara! Entra em vigor na data da sua publicação. E esse pagamento tem que ser retroativo, a partir de dezembro quando a lei foi sancionada pela presidente”.

O diretor do SindVigRio, Jomar Firmino, disse que o vigilante é uma profissão de risco, muitas vezes tem que enfrentar bandidos ou pessoas violentas para proteger o patrimônio de terceiros e banqueiros, que a cada dia estão mais ricos enquanto os trabalhadores, cada dia mais pobres, tendo ainda que lutar para receber um adicional que já está em vigor. A Federação não vai abrir mão desse direito e vamos às últimas conseqüências para receber os nossos 30% que está valendo desde dezembro.”

manifestacao-rio-fev2013-3

Já o vice-presidente do SindVigRio, Antônio Carlos, garantiu que o sindicato não medirá esforços e continuará cobrando o pagamento retroativo dos 30% de periculosidade, até que os patrões efetuem o pagamento devido. Ele acrescentou que o Sindicato está preparando ações na Justiça contra as empresas que estão desrespeitando a aplicação da Lei 12.740/12, e que esse crime contra os trabalhadores, está sendo denunciado ao Ministério Público do Trabalho e ao próprio Ministério do Trabalho.

Fonte: SindVigRio

Contato

VOLTA REDONDA - RJ: Av. Sete de Setembro, 632 - Aterrado

Telefone: (24) 3346-8819

 

RESENDE - RJ: Av. Albino de Almeida, 142 - sala 205 - Campos Elíseos (em cima da loja Mundo Verde)

 

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.